Diferenças entre edições de "Omraam Mikhaël Aïvanhov"

De OmraamWiki
Ir para: navegação, pesquisa
(Final Years)
 
(Há 10 revisões intermédias de 2 utilizadores que não estão a ser apresentadas)
Linha 1: Linha 1:
 
'''Omraam Mikhaël Aïvanhov''' (nascido Mihail Ivanov, em Búlgaro Михаил Иванов) [[File:MOMA-1961.jpg|200px|thumb|right|Omraam Mikhaël Aïvanhov]], filósofo e pedagogo de origem macedonia, nasceu em 31 de janeiro de 1900 [1] na vila de Srbci (https://en.wikipedia.org/wiki/Srpci), Bitola (https://en.wikipedia.org/wiki/Bitola), Macedonia (https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Macedonia) [2]. Deixou a Bulgária em 1937 a pedido de seu mestre espiritual, '''[https://en.wikipedia.org/wiki/Peter_Deunov Peter Deunov]''', e estabeleceu-se na França, onde ministrou a maior parte de seus ensinamentos em mais de 5000 palestras [3]. Os tópicos tratados em suas palestras referem-se a todos os aspectos da vida, sempre com o foco no ser humano e em seu aperfeiçoamento. Os temas tratados irão sempre levar em conta os benefícios que cada um pode obter deles, de modo a entender-se melhor e a melhorar sua maneira de viver. A respeito de si mesmo, Omraam Mikhael Aivanhov disse:
 
'''Omraam Mikhaël Aïvanhov''' (nascido Mihail Ivanov, em Búlgaro Михаил Иванов) [[File:MOMA-1961.jpg|200px|thumb|right|Omraam Mikhaël Aïvanhov]], filósofo e pedagogo de origem macedonia, nasceu em 31 de janeiro de 1900 [1] na vila de Srbci (https://en.wikipedia.org/wiki/Srpci), Bitola (https://en.wikipedia.org/wiki/Bitola), Macedonia (https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Macedonia) [2]. Deixou a Bulgária em 1937 a pedido de seu mestre espiritual, '''[https://en.wikipedia.org/wiki/Peter_Deunov Peter Deunov]''', e estabeleceu-se na França, onde ministrou a maior parte de seus ensinamentos em mais de 5000 palestras [3]. Os tópicos tratados em suas palestras referem-se a todos os aspectos da vida, sempre com o foco no ser humano e em seu aperfeiçoamento. Os temas tratados irão sempre levar em conta os benefícios que cada um pode obter deles, de modo a entender-se melhor e a melhorar sua maneira de viver. A respeito de si mesmo, Omraam Mikhael Aivanhov disse:
“Às vezes eu recebo cartas de irmãos e irmãs dizendo, ‘Oh Mestre, gostaríamos de ser como você. Você é um exemplo para nós.’ Mas eu digo que você deve tomar o sol como exemplo, como eu faço. Eu olho para o sol, e aponto em sua direção para encorajá-los a ir em sua direção. Não pare em mim; passe direto rumo ao sol, se  imerja em sua vida, em seu calor e em sua luz, de modo a tornar-se igual a ele.   Do not stop at me; go right past me to the sun, immerse yourself in its life, its warmth and its light, so that you can become like it. As for me, think of me as being a signpost that shows you the path you should take. So, do not stop at the signpost. When you travel along a road, and you see a sign that says Paris or Frejus, you do not stop there and hug it saying, ‘How I love you, dear signpost. How I love your beautiful lettering, and how well you point out the direction I should take!’ No, you keep traveling until you reach Paris or Frejus.” [4]
+
“Às vezes eu recebo cartas de irmãos e irmãs dizendo, ‘Oh Mestre, gostaríamos de ser como você. Você é um exemplo para nós.’ Mas eu digo que você deve tomar o sol como exemplo, como eu faço. Eu olho para o sol, e aponto em sua direção para encorajá-los a ir em sua direção. Não pare em mim; passe direto rumo ao sol, se  imerja em sua vida, em seu calor e em sua luz, de modo a tornar-se igual a ele. Em relação a mim, me veja como uma placa de sinalização indicando o caminho a tomar. Então, não pare na placa. Quando viaja por uma estrada e ve uma placa que diz Paris ou Frejus, você não para lá e a abraça dizendo, ‘Como eu te amo, querida placa de sinalização. Como eu amo suas lindas letras, como indica bem a direção que eu devo tomar!’ Não, você continua a jornada até alcançar Paris ou Frejus.” [4]
  
==Biography==
+
==Biografia==
  
===Youth and Education===
+
===Juventude e Educação===
The family of Mihail Ivanhov was of Bulgarian origin. His father, Ivan Dimitrov, was operating a charcoal business in the Bulgarian city of Varna (https://en.wikipedia.org/wiki/Varna) at the Black Sea, more than 600 km away from Mihail’s place of birth. In 1907 Srbci was attacked by Greece and devastated; thereupon Dolia, Mihail’s mother, fled with her son to settle with her husband in Varna.  In 1909 Mihail discovered the book “Proverbs of Solomon” (https://en.wikipedia.org/wiki/Book_of_Proverbs) which became an inspiring lecture for him and gave his spiritual development a decisive impetus. [5] At age 17 [6] Mihail encountered his spiritual Master Peter Deunov, who had been sent into exile by the Bulgarian government based on the pressure of the orthodox clergy, and lived in Varna. During the following twenty years Mihail remained a student of Peter Deunov (1864-1944), the founder of the spiritual movement which became known in Bulgaria as the “White Brotherhood” (https://en.wikipedia.org/wiki/Universal_White_Brotherhood). During this time he had the opportunity to immerse himself intensively in the esoteric Christian teachings of his Master. In 1923 he enrolled at the University in Sofia: “After receiving diplomas in philosophy, psychology, and education Mikhael continued to frequent the university. Stimulated by curiosity, he moved freely from one faculty to another, exploring the different disciplines, following courses in medicine, chemistry, and physics. He spent so many years at the university that his friends nicknamed him ‘the eternal student’.” [7] In the early 1930ties he became a teacher in a school in the province of Sofia, and sometime later was appointed principal. [8]
+
A família de Mihail Ivanhov é de origem búlgara. Seu pai, Ivan Dimitrov, tinha um negócio de carvão na cidade búlgara de Varna (https://en.wikipedia.org/wiki/Varna) no Mar Negro, a mais de 600 km de distância do local de nascimento de  Mihail’s. Em 1907 Srbci foi atacada pela Grécia e devastada; após o que Dolia, mãe de Mihail’s, fugiu con seu filho para se estabelecer com seu marido em Varna.  Em 1909 Mihail descobriu o livro “Provérbios de Salomão” (https://en.wikipedia.org/wiki/Book_of_Proverbs) que tornou-se um ensinamento inspirador e deu um decisivo impulso a desenvolvimento espiritual. [5] Com 17 anos [6] Mihail encontrou seu Mestre espiritual Peter Deunov, que havia sido enviado ao exílio pelo governo búlgaro pressionado pelo clero ortodoxo,e  também vivia em Varna. Durante os próximos vinte anos Mihail permaneceu como estudante de Peter Deunov (1864-1944), o fundador do movimento espiritual que se tornou conhecido na Bulgária como a “Irmandade Branca” (https://en.wikipedia.org/wiki/Universal_White_Brotherhood). Durante esse período teve a oportunidade de imergir-se intensivamente nos ensinamentos do Cristianismo esotérico de seu mestre. Em  1923 matriculou-se na Universidade em Sofia: “Depois de formar-se em filosofia, psicologia, e pedagogia Mikhael continuou a frequentar a universidade. Estimulado pela curiosidade, transitava livremente de uma faculdade à outra, explorando diferentes disciplinas, cursando matérias em medicina, química e física. Ele passou vários anos na Universidade e por isso recebeu de seus amigos o apelido de  ‘o estudente eterno’.” [7] No começo dos anos 1930 tornou-se professor numa escola na província de Sofia e algum tempo depois tornou-se diretor.   [8]
  
===Arrival in France===
+
=== Chegada na França ===
In 1937, two years before the start of World War II, Peter Deunov anticipated the imminent events and decided to send Mihail to France, so as to protect his teaching from the oppression of the dictatorships that were beginning to spread in eastern Europe. Mihail arrived in France on July 22 of the same year, with the task to carry the ‘torch’ of the teaching of his Master into the West. Mihail left his position as a principal in Sofia, his family, and his home country, to fulfill the mission entrusted to him. He himself said about this: “Ich bin also auf Bitten des Meisters Peter Deunov nach Frankreich gekommen, um dessen Lehre am Leben zu erhalten. Selbstverstaendlich hat er mir das nicht befohlen, denn ein wahrer Meister wuerde niemals den Gehorsam oder die Unterwerfung seiner Schueler verlangen. Ich selbst habe gespuert, dass das, worum er mich bat, dem Guten diente und so habe ich es akzeptiert.“(Quote) [9]
+
Em 1937, dois anos antes do início da Segunda Guerra Mundial, Peter Deunov antecipou os eventos iminentes e decidiu enviar Mikhaël para a França, a fim de proteger seu ensino da opressão das ditaduras que começavam a se espalhar na Europa oriental. Mikhaël chegou à França em 22 de julho do mesmo ano, com a tarefa de levar a "tocha" do ensino de seu Mestre para o Ocidente. Mikhaël deixou sua posição como diretor em Sofia, sua família e seu país de origem, para cumprir a missão que lhe fora confiada. Ele mesmo disse sobre isso: "Então eu vim para a França a pedido do Mestre Peter Deunov para manter seu ensinamento vivo. É claro que ele não me disse isso, porque um verdadeiro mestre nunca exigiria a obediência ou a submissão de seus discípulos. Eu mesmo senti que o que ele me pediu para fazer foi bom, e assim aceitei.“ [9] Antes de partir para a França, o Mestre Pedro Deunov disse-lhe: “Tenho em minha posse uma pedra preciosa. É tão grandioso quanto um ovo e valioso além das palavras. Eu pretendo dar a alguém para levar para outro país, mas como ele terá que viajar através de uma densa floresta repleta de bandidos e feras selvagens, eu vou cobri-lo com lama. Mais tarde, quando for lavado, brilhará em todo o seu esplendor.” [10]
Before his departure for France Master Peter Deunov had said to him: “I have in my possession a precious stone. It is as big as an egg and valuable beyond words. I intend to give it to someone to take to another country, but as he will have to travel through a dense forest teeming with bandits and savage beasts, I will coat it with mud. Later, when it is washed, it will shine in all its splendor.” [10]
 
  
Mihail arrived in Paris at the time of the World Fair (https://en.wikipedia.org/wiki/Exposition_Internationale_des_Arts_et_Techniques_dans_la_Vie_Moderne). Stella Bellemin (http://fbucanada.com/en/accueil/stella-bellemin/), who received him on recommendation of Peter Deunov, said about him: “Was mich beim ersten Kontakt mit ihm vor allem beeindruckte, war das von ihm ausgehende intensive Licht voller Sanftheit und reiner, ueberpersoenlicher Liebe, das sich wie ein goettlicher Strom ueber die Menschen und Dinge ergoss.“ (Quote) [11]
+
Mikhaël chegou a Paris na época da Feira Mundial (https://en.wikipedia.org/wiki/Exposition_Internationale_des_Arts_et_Techniques_dans_la_Vie_Moderne). Stella Bellemin (http://fbucanada.com/en/accueil/stella-bellemin/), que o recebeu por recomendação de Peter Deunov, disse sobre ele: "O que me impressionou na primeira vez que entrei em contato com ele foi a luz intensa da gentileza total e do amor puro e sobrenatural que emanava como um fluxo divino de pessoas e coisas”. [11] "Frère Mikhaël", como era chamado agora [12], aprendeu a falar a língua francesa em poucos meses, "... ouvindo as pessoas, o rádio ou indo ao cinema ..." e deu sua primeira palestra pública em 31 de janeiro de 1938 na Salle du Luxembourg, em Paris. A partir de então, suas palestras foram gravadas primeiro por taquigrafia e depois em fita - e publicadas.
"Frère Mikhaël", as he was called now [12], learned to speak the French language within a few months, “…by listening to people, to the radio, or going to the movie theatre…”, and gave his first public talk on January 31, 1938 in the Salle du Luxembourg in Paris. From then on, his talks were recorded first by shorthand, and later on tape – and published.
 
  
===During World War II===
+
=== Durante a Segunda Guerra Mundial ===
Beginning in 1942, it was no longer possible to organize public meetings, and therefore his students decided to rent a house with garden in the city of Sevres, (https://en.wikipedia.org/wiki/Sèvres), near Paris. They met there nearly every morning, meditated together at sunrise and gathered afterwards to listen to a lecture by Brother Mikhael. [13] Apart from working to disseminate the teaching of Peter Deunov, Brother Mikhael was involved in the support of the French Resistance as early as 1943, as attested by a statement [14] of Colonel Lagarde (https://fr.wikipedia.org/wiki/Robert_Sarrazac), a distinguished member of the Resistance. This involvement included help to save fellow Jewish citizens. [15] These facts later moved General Pierre Billotte (https://en.wikipedia.org/wiki/Pierre_Billotte) (1906-1992), General-Chief of Staff of General de Gaulle, as well as Maurice Chevance  (https://fr.wikipedia.org/wiki/Maurice_Chevance), also known as Chevance-Bertin (1910-1996), one of the four Generals of the French army during World War II,  to support Brother Mikhael’s application of naturalization in France. This application for naturalization was a lengthy procedure, which began in the 60ties and 70ties and only was concluded in 1986 with the bestowal of French citizenship.
 
  
===After the War===
+
A partir de 1942, não foi mais possível organizar reuniões públicas e, portanto, seus alunos decidiram alugar uma casa com jardim na cidade de Sevres, (https://en.wikipedia.org/wiki/Sèvres), perto de Paris. Eles se encontravam lá quase todas as manhãs, meditavam juntos ao nascer do sol e se reuniam depois para ouvir uma palestra do irmão Mikhaël. [13] Além de trabalhar para divulgar o ensinamento de Pedro Deunov, o irmão Mikhael esteve envolvido no apoio da Resistência Francesa já em 1943, como atestado por uma declaração [14] do coronel Lagarde (https://fr.wikipedia.com). org / wiki / Robert_Sarrazac), um membro ilustre da Resistência. Esse envolvimento incluiu ajuda para salvar concidadãos judeus. [15] Estes fatos mais tarde mudaram o general Pierre Billotte (https://en.wikipedia.org/wiki/Pierre_Billotte) (1906-1992), o general-chefe de gabinete do General de Gaulle, assim como Maurice Chevance (https: / /fr.wikipedia.org/wiki/Maurice_Chevance), também conhecido como Chevance-Bertin (1910-1996), um dos quatro generais do exército francês durante a Segunda Guerra Mundial, para apoiar o pedido de naturalização do Irmão Mikhaël na França. Este pedido de naturalização foi um procedimento demorado, que começou nos anos 60 e 70 e só foi concluído em 1986 com a outorga da cidadania francesa.
In 1946 a first series of lectures from the year 1938 were published. This collection appeared under the title “Amour, Sagesse, Verite” (Love, Wisdom, Truth) with an introduction [16] of the Italian Philosopher Lanza del Vasto (https://en.wikipedia.org/wiki/Lanza_del_Vasto). In 1947 Brother Mikhael’s students decided to buy an abandoned villa in Sevres. This house got called “Izgrev” (Bulgarian for ‘sunrise’), like the center of Peter Deunov in Sofia. In the same year Brother Mikhael established the seat of the newly founded Fraternite Blanche Universelle at Izgrev, whose meetings would be held there as well. [17]
 
  
===Victim of a Conspiracy===
+
=== Pós guerra ===
The year 1948 marked the beginning of a phase of most difficult events for Brother Mikhael. As a result of a conspiracy with charges resting on false testimonies, Brother Mikhael was arrested and sentenced to four years in prison. He spent two years in the prison “Chataigneraie la Celle Saint-Cloud”, near Paris. He was rehabilitated in 1960, accompanied by an official apology of the French state.
 
All of this began in 1947 when a former Nazi spy, who had deserted to the Soviets, and who called himself Prince Cherenzi Lind, Maha Chohan (big chief), Regent du Royaume Supreme d’Agartha (Regent of the High Kingdom of Agartha), contacted Brother Mikhael. The latter noticed quickly with whom he had to do; he guessed the true clients of Maha Chohan (presumably the same ones who had achieved the ban of the “White Brotherhood” of Peter Deunov in Bulgaria, which, in the meantime, had become an offshoot of the Soviet Regime).
 
Considering how dangerous this man was for his still young Brotherhood, and with the intention of thwarting his plans, Brother Mikhael first of all decided to build a relationship with the “Prince” which he himself described as ‘cordial’. But after a certain time the so-called spiritualist realized that he wasn’t able to manipulate Brother Mikhael, especially since he refused to play the role of agent for the Soviet Intelligence. [18] This situation soon became unbearable, and the relationship broke apart. Out of revenge, Maha Chohan persuaded 40 women to testify for sexual harassment against Brother Mikhael, and he denounced him with the French police.
 
Based on these accusations (which were consistently proved wrong in the following years, and were revoked one after the other) [19], Brother Mikhael was sentenced to four years in prison on July 17, 1948. In February 1950 Walter Farr, a renowned English Journalist of the Daily Mail, published an in-depth article [20], in which he revealed that the French counterintelligence was long convinced that the so-called ‘proofs’ against Brother Mikhael had been invented by the Bulgarian-communist Regime. Thereupon Brother Mikhael’s lawyers were able to change his sentence, and it was converted by the Court of Appeals on March 24, 1950 into a sentence of ‘inciting public annoyance’. The sentence was reduced to thirty months, and since many months had already passed since his imprisonment, Brother Mikhael finally became free. On September 28, 1960 the Court of Appeals of Aix-en-Provence compiled an official act of rehabilitation in favor of Brother Mikhael. Years later, the Minister of Justice of the French Republic sent Brother Mikhael a letter of apology, because he had then unlawfully influenced the decision of the acting judge. [21] In 1962 students of O.M. Aivanhov entrusted to the press further testimonies in his favor. [22]
 
Omraam Mikhael Aivanhov later said about these events: “Verleumdung ist etwas, das wir al sein toedliches Gift empfinden. Doch das Einweihungswissen war da, um mir zu zeigen, dass dies das Beste war, was mir passieren konnte, weil es mich dazu zwang, einen unbekannten Weg einzuschlagen und in mir selbst ungeahnte Waffen und Ressourcen zu entdecken, Energien, die ich sonst niemals gefunden haette.“ (Quote) [23]
 
  
===Years of Maturity===
+
Em 1946, uma primeira série de palestras do ano de 1938 foi publicada. Esta coleção apareceu sob o título “Amour, Sagesse, Verite” (Amor, Sabedoria, Verdade) com uma introdução [16] do filósofo italiano Lanza del Vasto (https://en.wikipedia.org/wiki/Lanza_del_Vasto). Em 1947, os alunos do irmão Mikhaël decidiram comprar uma vila abandonada em Sevres. Esta casa foi chamada de "Izgrev" (búlgaro para "nascer do sol"), como o centro de Peter Deunov em Sofia. No mesmo ano, o irmão Mikhaël estabeleceu a sede da recém-fundada Fraternite Blanche Universelle em Izgrev, cujas reuniões também seriam realizadas lá. [17]
In 1953 Brother Mikhael founded the spiritual center “Le Bonfin” in the South of France, where he would be staying often, and for long times. Every year since, hundreds of people from all over the world meet in this Initiatic School for a few months, in order to listen to his lectures about the teachings, and to live a life inspired by them.
 
  
On February 11, 1959 Brother Mikhael began a year-long journey to India; a journey which he undertook alone and which lead him to the Himalayas, into Kashmir, Gulmarg, Calcutta, Tiruvannamalai, and Ganeshpuri. This phase represented an important turning point in his life. He visited various ashrams and met several spiritual Masters. In Tiruvannamalai the students of Ramana Maharishi (https://en.wikipedia.org/wiki/Ramana_Maharshi) (1879-1950), one of the greatest sages of modern India, welcomed him warmly. He gained permission to meditate in the room of this great sage. In Calcutta he encountered Ma Anandamayi (https://en.wikipedia.org/wiki/Anandamayi_Ma) (1896-1982), in whom he recognized a manifestation of the Divine Mother. In Rikikesh he met Shivananda (https://en.wikipedia.org/wiki/Sivananda_Saraswatiand) (1887-1963), and near Bombay he visited Bhagavan Nityananda (https://en.wikipedia.org/wiki/Bhagawan_Nityananda) (1897-1961), the Master of Swami Muktananda. When the former saw Brother Mikhael, he entered into a deep meditation and, once he opened his eyes again, said: “His heart is pure. Peace is in his soul. All powers have been given to him.” [Quote from p. 279, The Life of a Master in the West]
+
=== Vítima de uma conspiração ===
The most important encounter was in Almora with Neem Karoli Baba (https://en.wikipedia.org/wiki/Neem_Karoli_Baba) (1900-1973) [24], also known under the name Babaji. [25] He spoke very devotedly about Brother Mikhael and regarded him as an extraordinary human being. Babaji introduced him to his students as “the French Sadhu… a yogi and a great saint” [Quote source??]. In Almora Brother Mikhael also got to know Lama Anagarika Govinda (https://en.wikipedia.org/wiki/Anagarika_Govinda) (1898-1985), with whom he connected in a deep friendship. In India he received his spiritual name “Omraam” “by someone who is greater than Babaji”. [26]
 
  
Omraam Mikhael Aivanhov explained the meaning of his initiatic name as such:
+
O ano de 1948 marcou o início de uma fase dos mais difíceis eventos para o irmão Mikhaël. Como resultado de uma conspiração com acusações baseadas em falsos testemunhos, o irmão Mikhaël foi preso e sentenciado a quatro anos de prisão. Ele passou dois anos na prisão “Chataigneraie la Celle Saint-Cloud”, perto de Paris. Ele foi reabilitado em 1960, acompanhado de um pedido oficial de desculpas do Estado francês. Tudo isso começou em 1947, quando um ex-espião nazista, que havia desertado dos soviéticos, chamado príncipe Cherenzi Lind, Maha Chohan (grande chefe), regente do reino Supremo d'Agartha (regente do Alto Reino de Agartha), contatou o irmão
:''«My new name is Omraam Mikhael. () The two principles of science, solve and coagula, are concealed in this name. ’Om’ produces the vibrations which disintegrate all that is bad or negative. It corresponds to the solve of initiatic science which returns things to their source and spiritualizes them by transforming them into light. The vibrations of ‘Raam’ have the power to condense and coagulate divine realities and make them tangible. This is coagula.” [Quote from p. 269, The Life of a Master in the West]
+
Mikhaël. Este percebeu rapidamente com quem ele estava lidando: os verdadeiros clientes de Maha Chohan (presumivelmente os mesmos que conseguiram a proibição da "Irmandade Branca" de Peter Deunov na Bulgária, que, entretanto, se tornara um desdobramento do regime soviético). Considerando o quão perigoso este homem era para sua ainda jovem Irmandade, e com a intenção de frustrar seus planos, o irmão Mikhaël, antes de tudo, decidiu construir um relacionamento com o "Príncipe", que ele próprio descreveu como "cordial". Mas depois de um certo tempo, o chamado espiritualista percebeu que não era capaz de manipular o irmão Mikhaël, especialmente desde que ele se recusou a desempenhar o papel de agente da Inteligência Soviética. [18] Esta situação logo se tornou insuportável, e o relacionamento se desfez. Por vingança, Maha Chohan persuadiu 40 mulheres a testemunhar por assédio sexual contra o irmão Mikhaël, e denunciou-o com a polícia francesa.
  
On his arrival in Paris in 1960, his students hardly recognized him, even though he had only left a year earlier. Everything about him was different, and one of these changes was that he bore a remarkable resemblance to Peter Deunov. From then on, his students spontaneously called him “Master” rather than “Brother”. He himself said about this topic: “Ein wahrer Meister wird euch niemals sagen, er sei ein Meister! Er wird es euch selbst spueren und verstehen lassen, weil er es nicht eilig hat, erkannt zu werden und ein wahrer Meister ist jemand, der die Wahrheit kennt, der die Gesetze und Prinzipien des Lebens vollkommen versteht und sie respektier. Er hat auch den Willen und die Faehigkeit, seine eigene innere Welt zu meistern und diese Meisterschaft fuer ein einziges Ziel zu verwenden, das darin besteht, alle Qualitaeten und Tugenden uneigennuetziger Liebe an den Tag zu legen.[Quote source??]
+
Com base nessas acusações (que se mostraram consistentemente erradas nos anos seguintes e foram revogadas uma após a outra) [19], o irmão Mikhaël foi condenado a quatro anos de prisão em 17 de julho de 1948. Em fevereiro de 1950, Walter Farr, renomado Jornalista inglês do Daily Mail, publicou um artigo[20], no qual revelou que a contra-inteligência francesa estava há muito convencida de que as chamadas "provas" contra o irmão Mikhaël haviam sido inventadas pelo regime comunista búlgaro. Depois disso, os advogados do irmão Mikhaël puderam mudar sua sentença, e isso foi convertido pelo Tribunal de Apelações em 24 de março de 1950 em uma sentença de "incitação ao aborrecimento público". A sentença foi reduzida a trinta meses, e como muitos meses já se passaram desde sua prisão, o irmão Mikhaël finalmente ficou livre. Em 28 de setembro de 1960, o Tribunal de Apelações de Aix-en-Provence compilou um ato oficial de reabilitação em favor do irmão Mikhaël. Anos depois, o Ministro da Justiça da República Francesa enviou uma carta de desculpas ao irmão Mikhaël, porque ele havia influenciado ilegalmente a decisão do juiz em exercício. [21] Em 1962, estudantes de O.M. Aivanhov confiaram à imprensa novos testemunhos a seu favor. [22] Omraam Mikhaël Aivanhov disse mais tarde sobre esses eventos: "Calúnia é algo que todos nós sentimos como veneno mortal. Mas o conhecimento de iniciação estava lá para mostrar que isso era a melhor coisa que poderia acontecer comigo, forçando-me a tomar um caminho desconhecido e descobrir em minha mente armas e recursos inimagináveis, energias que nunca imaginei que teria.[23]
  
During the 1960ties Omraam Mikhael Aivanhov often left France in order to visit important spiritual sites, as well as emerging centers of the Brotherhood. He traveled to England, Spain, Italy, Greece, Sweden, the Netherlands, Germany, the United States, Canada, Israel, Japan, Sri Lanka, Hongkong, Morocco, Egypt, Ethiopia, Yugoslavia, Bulgaria, as well as Turkey and Lebanon… [27] In 1971 the Prosveta Publishing Company came into being (today located in Frejus, France), which began the publication of numerous lectures (totaling over 5000) of Omraam Mikhael Aivanhov. In April 1974 the publication of the “Complete Works”, a book series consisting of 32 volumes, was begun. In the meantime, translations of Omraam Mikhael Aivanhov books exist in more than 30 languages.
+
=== Anos de maturidade ===
  
===Final Years===
+
Em 1953, o irmão Mikhaël fundou o centro espiritual “Le Bonfin” no sul da França, onde ficaria frequentemente e por longos períodos. Todos os anos, centenas de pessoas de todo o mundo se encontram nesta Escola Iniciática por alguns meses, para ouvir suas palestras sobre os ensinamentos e viver uma vida inspirada por elas.
After an interruption of his traveling activities for several years, during which he spent most of his time with the dissemination of his teaching in the fraternal centers in France and in Switzerland, he traveled again to the United States and to Canada to give a series of public lectures in October 1981. Following that, there were more journeys to Bulgaria, Thailand, India, England, Scotland, Egypt, Scandinavia and Mexico. [28] In January 1984 he met the former President Ronald Reagan (http://it.omraamwiki.org/images/6/68/OMA_meets_RR.jpg). In May 1984 he returned for the last lecture series in Canada. To assist the international project Live Aid (https://en.wikipedia.org/wiki/Live_Aid), which had been organized in 1985 in order to raise money for the famine in Ethiopia, and which was one of the greatest Rock-events of history, an appeal of his had been recorded (https://www.youtube.com/watch?v=wze841XwvHE).  
+
 
Omraam Mikhael Aivanhov left his body in full consciousness on Christmas Day 1986 at the center of the Bonfin. To honor his express wishes, the news was announced only three days later. He had explained that he had to do a certain work on the subtle planes during these three days, and that for those reasons his physical body was to be left in isolation.
+
Em 11 de fevereiro de 1959, o irmão Mikhaël iniciou uma viagem de um ano para a Índia; uma jornada que ele empreendeu sozinho e que o levou ao Himalaia, à Caxemira, Gulmarg, Calcutá, Tiruvannamalai e Ganeshpuri. Essa fase representou um importante ponto de virada em sua vida. Ele visitou alguns ashrams e conheceu vários mestres espirituais. Em Tiruvannamalai, os estudantes de Ramana Maharishi (https://en.wikipedia.org/wiki/Ramana_Maharshi) (1879-1950), um dos maiores sábios da Índia moderna, receberam-no calorosamente. Ele obteve permissão para meditar no quarto deste grande sábio. Em Calcutá, ele encontrou Ma Anandamayi (https://en.wikipedia.org/wiki/Anandamayi_Ma) (1896-1982), em quem ele reconheceu uma manifestação da Mãe Divina. Em Rikikesh ele conheceu Shivananda (https://en.wikipedia.org/wiki/Sivananda_Saraswatiand) (1887-1963), e perto de Bombaim ele visitou Bhagavan Nityananda (1897). -1961), o Mestre de Swami Muktananda. Quando este viu o irmão Mikhaël, ele entrou em profunda meditação e, uma vez que ele abriu os olhos novamente, disse: “Seu coração é puro. A paz está em sua alma. Todos os poderes foram dados a ele.”[Citação de "A vida de um mestre no Ocidente”, p. 279]. O encontro mais importante foi em Almora com Neem Karoli Baba (https://en.wikipedia.org/wiki/Neem_Karoli_Baba) (1900-1973) [24], também conhecido sob a nome Babaji. [25] Ele falou muito devotadamente sobre o irmão Mikhaël e considerou-o como um ser humano extraordinário. Babaji apresentou-o aos seus alunos como "o sadhu francês: um iogue e um grande santo". Em Almora, o irmão Mikhaël também conheceu Lama Anagarika Govinda (1898-1985), com quem se relacionou em profunda amizade. Na Índia, ele recebeu seu nome espiritual “Omraam” “por alguém que é maior que Babaji”. [26]
Several of his students report extraordinary and miraculous healings effected by Omraam Mikhael Aivanhov during his lifetime. [30]
+
 
 +
Omraam Mikhaël Aivanhov explicou o significado de seu nome iniciático da seguinte maneira: "meu novo nome é Omraam Mikhaël. Os dois princípios da ciência, dissolver e coagular, estão ocultos nesse nome. "Om" produz as vibrações que desintegram tudo o que é ruim ou negativo. Corresponde à solução da ciência iniciática que devolve as coisas à sua fonte e as espiritualiza, transformando-as em luz. As vibrações de 'Raam' têm o poder de condensar e coagular as realidades divinas e torná-las tangíveis. Isso é coágulo.” [Citação da p. 269, a vida de um mestre no oeste]. Em sua chegada à Paris, em 1960, seus alunos mal o reconheceram, embora ele tivesse saído apenas um ano antes. Tudo sobre ele era diferente, e uma dessas mudanças foi que ele tinha uma notável semelhança com Peter Deunov. A partir de então, seus alunos espontaneamente o chamavam de "Mestre" em vez de "Irmão". Ele mesmo disse sobre esse assunto: "Um verdadeiro mestre nunca dirá que ele é um mestre! Ele permitirá que seja sentido e compreendido por você, porque ele não tem pressa em ser conhecido, e um verdadeiro mestre é aquele que conhece a verdade, que compreende e respeita as leis e os princípios da vida. Ele também tem a vontade e a habilidade de dominar seu próprio mundo interior e usar esse domínio para um único objetivo, que é mostrar todas as qualidades e virtudes do amor desinteressado ".
 +
 
 +
=== Anos 1960 ===
 +
Anos 1960
 +
Omraam Mikhaël Aivanhov freqüentemente deixava a França para visitar locais espirituais importantes, bem como centros emergentes da Irmandade. Ele viajou para a Inglaterra, Espanha, Itália, Grécia, Suécia, Holanda, Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Israel, Japão, Sri Lanka, Hong Kong, Marrocos, Egito, Etiópia, Iugoslávia, Bulgária, Turquia e Líbano. [27] Em 1971, surgiu a Prosveta Publishing Company (hoje localizada em Frejus, França), que iniciou a publicação de numerosas palestras (totalizando mais de 5000) de Omraam Mikhaël Aivanhov. Em abril de 1974, foi iniciada a publicação das “Obras Completas”, uma série de livros com 32 volumes. Atualmente, as traduções dos livros de Omraam Mikhaël Aivanhov existem em mais de 30 idiomas.
 +
 
 +
=== Anos finais ===
 +
 
 +
Após uma interrupção de suas atividades itinerantes durante vários anos, durante os quais passou a maior parte do tempo com a divulgação de seu ensino nos centros fraternos na França e na Suíça, ele viajou novamente para os Estados Unidos e para o Canadá para dar uma série de palestras públicas em outubro de 1981. Depois disso, houve mais viagens para a Bulgária, Tailândia, Índia, Inglaterra, Escócia, Egito, Escandinávia e México. [28] Em janeiro de 1984, ele conheceu o ex-presidente Ronald Reagan (http://it.omraamwiki.org/images/6/68/OMA_meets_RR.jpg). Em maio de 1984 ele retornou para a última série de palestras no Canadá. Para auxiliar o projeto internacional Live Aid (https://en.wikipedia.org/wiki/Live_Aid), que havia sido organizado em 1985 para arrecadar dinheiro para a fome na Etiópia, e que foi um dos maiores eventos de Rock da história, um apelo dele havia sido gravado (https://www.youtube.com/watch?v=wze841XwvHE). Omraam Mikhaël Aivanhov deixou seu corpo em plena consciência no dia de Natal de 1986, no centro do Bonfin. Para honrar seus desejos expressos, a notícia foi anunciada apenas três dias depois. Ele havia explicado que tinha que fazer um certo trabalho nos planos sutis durante esses três dias e que, por essas razões, seu corpo físico deveria ser deixado em isolamento. Vários de seus alunos relatam curas extraordinárias e milagrosas efetuadas por Omraam Mikhaël Aivanhov durante sua vida. [30]
  
 
==The Teaching of Omraam Mikhaël Aïvanhov: Spirit and Matter Have to Work Together==
 
==The Teaching of Omraam Mikhaël Aïvanhov: Spirit and Matter Have to Work Together==
Linha 167: Linha 165:
  
  
 +
<div style="font-size:8pt; line-height:12pt;">
 +
----
 +
OmraamWiki is an international project realized with the contribution of the Scientific Research funds of the [https://www.unistrapg.it/en University for Foreigners of Perugia] (Department of Human and Social Sciences)
  
 +
[[ar:أومرام_ميخائيل_إيفانهوف]]
 
[[de:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[de:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 +
[[el:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[en:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[en:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[es:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[es:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 +
[[fa:ام_رام_میکائیل_ایوانف]]
 
[[fr:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[fr:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 +
[[he:אומרם_מיכאל_איבנהוב]]
 
[[it:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[it:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[nl:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[nl:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[pt:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
 
[[pt:Omraam_Mikhaël_Aïvanhov]]
[[ru:Омраама Микаэля Айванхова]]
+
[[ru:Омраама_Микаэля_Айванхова]]

Edição atual desde as 12h50min de 26 de agosto de 2019

Omraam Mikhaël Aïvanhov (nascido Mihail Ivanov, em Búlgaro Михаил Иванов)
Omraam Mikhaël Aïvanhov
, filósofo e pedagogo de origem macedonia, nasceu em 31 de janeiro de 1900 [1] na vila de Srbci (https://en.wikipedia.org/wiki/Srpci), Bitola (https://en.wikipedia.org/wiki/Bitola), Macedonia (https://en.wikipedia.org/wiki/Republic_of_Macedonia) [2]. Deixou a Bulgária em 1937 a pedido de seu mestre espiritual, Peter Deunov, e estabeleceu-se na França, onde ministrou a maior parte de seus ensinamentos em mais de 5000 palestras [3]. Os tópicos tratados em suas palestras referem-se a todos os aspectos da vida, sempre com o foco no ser humano e em seu aperfeiçoamento. Os temas tratados irão sempre levar em conta os benefícios que cada um pode obter deles, de modo a entender-se melhor e a melhorar sua maneira de viver. A respeito de si mesmo, Omraam Mikhael Aivanhov disse:

“Às vezes eu recebo cartas de irmãos e irmãs dizendo, ‘Oh Mestre, gostaríamos de ser como você. Você é um exemplo para nós.’ Mas eu digo que você deve tomar o sol como exemplo, como eu faço. Eu olho para o sol, e aponto em sua direção para encorajá-los a ir em sua direção. Não pare em mim; passe direto rumo ao sol, se imerja em sua vida, em seu calor e em sua luz, de modo a tornar-se igual a ele. Em relação a mim, me veja como uma placa de sinalização indicando o caminho a tomar. Então, não pare na placa. Quando viaja por uma estrada e ve uma placa que diz Paris ou Frejus, você não para lá e a abraça dizendo, ‘Como eu te amo, querida placa de sinalização. Como eu amo suas lindas letras, como indica bem a direção que eu devo tomar!’ Não, você continua a jornada até alcançar Paris ou Frejus.” [4]

Biografia

Juventude e Educação

A família de Mihail Ivanhov é de origem búlgara. Seu pai, Ivan Dimitrov, tinha um negócio de carvão na cidade búlgara de Varna (https://en.wikipedia.org/wiki/Varna) no Mar Negro, a mais de 600 km de distância do local de nascimento de Mihail’s. Em 1907 Srbci foi atacada pela Grécia e devastada; após o que Dolia, mãe de Mihail’s, fugiu con seu filho para se estabelecer com seu marido em Varna. Em 1909 Mihail descobriu o livro “Provérbios de Salomão” (https://en.wikipedia.org/wiki/Book_of_Proverbs) que tornou-se um ensinamento inspirador e deu um decisivo impulso a desenvolvimento espiritual. [5] Com 17 anos [6] Mihail encontrou seu Mestre espiritual Peter Deunov, que havia sido enviado ao exílio pelo governo búlgaro pressionado pelo clero ortodoxo,e também vivia em Varna. Durante os próximos vinte anos Mihail permaneceu como estudante de Peter Deunov (1864-1944), o fundador do movimento espiritual que se tornou conhecido na Bulgária como a “Irmandade Branca” (https://en.wikipedia.org/wiki/Universal_White_Brotherhood). Durante esse período teve a oportunidade de imergir-se intensivamente nos ensinamentos do Cristianismo esotérico de seu mestre. Em 1923 matriculou-se na Universidade em Sofia: “Depois de formar-se em filosofia, psicologia, e pedagogia Mikhael continuou a frequentar a universidade. Estimulado pela curiosidade, transitava livremente de uma faculdade à outra, explorando diferentes disciplinas, cursando matérias em medicina, química e física. Ele passou vários anos na Universidade e por isso recebeu de seus amigos o apelido de ‘o estudente eterno’.” [7] No começo dos anos 1930 tornou-se professor numa escola na província de Sofia e algum tempo depois tornou-se diretor. [8]

Chegada na França

Em 1937, dois anos antes do início da Segunda Guerra Mundial, Peter Deunov antecipou os eventos iminentes e decidiu enviar Mikhaël para a França, a fim de proteger seu ensino da opressão das ditaduras que começavam a se espalhar na Europa oriental. Mikhaël chegou à França em 22 de julho do mesmo ano, com a tarefa de levar a "tocha" do ensino de seu Mestre para o Ocidente. Mikhaël deixou sua posição como diretor em Sofia, sua família e seu país de origem, para cumprir a missão que lhe fora confiada. Ele mesmo disse sobre isso: "Então eu vim para a França a pedido do Mestre Peter Deunov para manter seu ensinamento vivo. É claro que ele não me disse isso, porque um verdadeiro mestre nunca exigiria a obediência ou a submissão de seus discípulos. Eu mesmo senti que o que ele me pediu para fazer foi bom, e assim aceitei.“ [9] Antes de partir para a França, o Mestre Pedro Deunov disse-lhe: “Tenho em minha posse uma pedra preciosa. É tão grandioso quanto um ovo e valioso além das palavras. Eu pretendo dar a alguém para levar para outro país, mas como ele terá que viajar através de uma densa floresta repleta de bandidos e feras selvagens, eu vou cobri-lo com lama. Mais tarde, quando for lavado, brilhará em todo o seu esplendor.” [10]

Mikhaël chegou a Paris na época da Feira Mundial (https://en.wikipedia.org/wiki/Exposition_Internationale_des_Arts_et_Techniques_dans_la_Vie_Moderne). Stella Bellemin (http://fbucanada.com/en/accueil/stella-bellemin/), que o recebeu por recomendação de Peter Deunov, disse sobre ele: "O que me impressionou na primeira vez que entrei em contato com ele foi a luz intensa da gentileza total e do amor puro e sobrenatural que emanava como um fluxo divino de pessoas e coisas”. [11] "Frère Mikhaël", como era chamado agora [12], aprendeu a falar a língua francesa em poucos meses, "... ouvindo as pessoas, o rádio ou indo ao cinema ..." e deu sua primeira palestra pública em 31 de janeiro de 1938 na Salle du Luxembourg, em Paris. A partir de então, suas palestras foram gravadas primeiro por taquigrafia e depois em fita - e publicadas.

Durante a Segunda Guerra Mundial

A partir de 1942, não foi mais possível organizar reuniões públicas e, portanto, seus alunos decidiram alugar uma casa com jardim na cidade de Sevres, (https://en.wikipedia.org/wiki/Sèvres), perto de Paris. Eles se encontravam lá quase todas as manhãs, meditavam juntos ao nascer do sol e se reuniam depois para ouvir uma palestra do irmão Mikhaël. [13] Além de trabalhar para divulgar o ensinamento de Pedro Deunov, o irmão Mikhael esteve envolvido no apoio da Resistência Francesa já em 1943, como atestado por uma declaração [14] do coronel Lagarde (https://fr.wikipedia.com). org / wiki / Robert_Sarrazac), um membro ilustre da Resistência. Esse envolvimento incluiu ajuda para salvar concidadãos judeus. [15] Estes fatos mais tarde mudaram o general Pierre Billotte (https://en.wikipedia.org/wiki/Pierre_Billotte) (1906-1992), o general-chefe de gabinete do General de Gaulle, assim como Maurice Chevance (https: / /fr.wikipedia.org/wiki/Maurice_Chevance), também conhecido como Chevance-Bertin (1910-1996), um dos quatro generais do exército francês durante a Segunda Guerra Mundial, para apoiar o pedido de naturalização do Irmão Mikhaël na França. Este pedido de naturalização foi um procedimento demorado, que começou nos anos 60 e 70 e só foi concluído em 1986 com a outorga da cidadania francesa.

Pós guerra

Em 1946, uma primeira série de palestras do ano de 1938 foi publicada. Esta coleção apareceu sob o título “Amour, Sagesse, Verite” (Amor, Sabedoria, Verdade) com uma introdução [16] do filósofo italiano Lanza del Vasto (https://en.wikipedia.org/wiki/Lanza_del_Vasto). Em 1947, os alunos do irmão Mikhaël decidiram comprar uma vila abandonada em Sevres. Esta casa foi chamada de "Izgrev" (búlgaro para "nascer do sol"), como o centro de Peter Deunov em Sofia. No mesmo ano, o irmão Mikhaël estabeleceu a sede da recém-fundada Fraternite Blanche Universelle em Izgrev, cujas reuniões também seriam realizadas lá. [17]

Vítima de uma conspiração

O ano de 1948 marcou o início de uma fase dos mais difíceis eventos para o irmão Mikhaël. Como resultado de uma conspiração com acusações baseadas em falsos testemunhos, o irmão Mikhaël foi preso e sentenciado a quatro anos de prisão. Ele passou dois anos na prisão “Chataigneraie la Celle Saint-Cloud”, perto de Paris. Ele foi reabilitado em 1960, acompanhado de um pedido oficial de desculpas do Estado francês. Tudo isso começou em 1947, quando um ex-espião nazista, que havia desertado dos soviéticos, chamado príncipe Cherenzi Lind, Maha Chohan (grande chefe), regente do reino Supremo d'Agartha (regente do Alto Reino de Agartha), contatou o irmão Mikhaël. Este percebeu rapidamente com quem ele estava lidando: os verdadeiros clientes de Maha Chohan (presumivelmente os mesmos que conseguiram a proibição da "Irmandade Branca" de Peter Deunov na Bulgária, que, entretanto, se tornara um desdobramento do regime soviético). Considerando o quão perigoso este homem era para sua ainda jovem Irmandade, e com a intenção de frustrar seus planos, o irmão Mikhaël, antes de tudo, decidiu construir um relacionamento com o "Príncipe", que ele próprio descreveu como "cordial". Mas depois de um certo tempo, o chamado espiritualista percebeu que não era capaz de manipular o irmão Mikhaël, especialmente desde que ele se recusou a desempenhar o papel de agente da Inteligência Soviética. [18] Esta situação logo se tornou insuportável, e o relacionamento se desfez. Por vingança, Maha Chohan persuadiu 40 mulheres a testemunhar por assédio sexual contra o irmão Mikhaël, e denunciou-o com a polícia francesa.

Com base nessas acusações (que se mostraram consistentemente erradas nos anos seguintes e foram revogadas uma após a outra) [19], o irmão Mikhaël foi condenado a quatro anos de prisão em 17 de julho de 1948. Em fevereiro de 1950, Walter Farr, renomado Jornalista inglês do Daily Mail, publicou um artigo[20], no qual revelou que a contra-inteligência francesa estava há muito convencida de que as chamadas "provas" contra o irmão Mikhaël haviam sido inventadas pelo regime comunista búlgaro. Depois disso, os advogados do irmão Mikhaël puderam mudar sua sentença, e isso foi convertido pelo Tribunal de Apelações em 24 de março de 1950 em uma sentença de "incitação ao aborrecimento público". A sentença foi reduzida a trinta meses, e como muitos meses já se passaram desde sua prisão, o irmão Mikhaël finalmente ficou livre. Em 28 de setembro de 1960, o Tribunal de Apelações de Aix-en-Provence compilou um ato oficial de reabilitação em favor do irmão Mikhaël. Anos depois, o Ministro da Justiça da República Francesa enviou uma carta de desculpas ao irmão Mikhaël, porque ele havia influenciado ilegalmente a decisão do juiz em exercício. [21] Em 1962, estudantes de O.M. Aivanhov confiaram à imprensa novos testemunhos a seu favor. [22] Omraam Mikhaël Aivanhov disse mais tarde sobre esses eventos: "Calúnia é algo que todos nós sentimos como veneno mortal. Mas o conhecimento de iniciação estava lá para mostrar que isso era a melhor coisa que poderia acontecer comigo, forçando-me a tomar um caminho desconhecido e descobrir em minha mente armas e recursos inimagináveis, energias que nunca imaginei que teria.” [23]

Anos de maturidade

Em 1953, o irmão Mikhaël fundou o centro espiritual “Le Bonfin” no sul da França, onde ficaria frequentemente e por longos períodos. Todos os anos, centenas de pessoas de todo o mundo se encontram nesta Escola Iniciática por alguns meses, para ouvir suas palestras sobre os ensinamentos e viver uma vida inspirada por elas.

Em 11 de fevereiro de 1959, o irmão Mikhaël iniciou uma viagem de um ano para a Índia; uma jornada que ele empreendeu sozinho e que o levou ao Himalaia, à Caxemira, Gulmarg, Calcutá, Tiruvannamalai e Ganeshpuri. Essa fase representou um importante ponto de virada em sua vida. Ele visitou alguns ashrams e conheceu vários mestres espirituais. Em Tiruvannamalai, os estudantes de Ramana Maharishi (https://en.wikipedia.org/wiki/Ramana_Maharshi) (1879-1950), um dos maiores sábios da Índia moderna, receberam-no calorosamente. Ele obteve permissão para meditar no quarto deste grande sábio. Em Calcutá, ele encontrou Ma Anandamayi (https://en.wikipedia.org/wiki/Anandamayi_Ma) (1896-1982), em quem ele reconheceu uma manifestação da Mãe Divina. Em Rikikesh ele conheceu Shivananda (https://en.wikipedia.org/wiki/Sivananda_Saraswatiand) (1887-1963), e perto de Bombaim ele visitou Bhagavan Nityananda (1897). -1961), o Mestre de Swami Muktananda. Quando este viu o irmão Mikhaël, ele entrou em profunda meditação e, uma vez que ele abriu os olhos novamente, disse: “Seu coração é puro. A paz está em sua alma. Todos os poderes foram dados a ele.”[Citação de "A vida de um mestre no Ocidente”, p. 279]. O encontro mais importante foi em Almora com Neem Karoli Baba (https://en.wikipedia.org/wiki/Neem_Karoli_Baba) (1900-1973) [24], também conhecido sob a nome Babaji. [25] Ele falou muito devotadamente sobre o irmão Mikhaël e considerou-o como um ser humano extraordinário. Babaji apresentou-o aos seus alunos como "o sadhu francês: um iogue e um grande santo". Em Almora, o irmão Mikhaël também conheceu Lama Anagarika Govinda (1898-1985), com quem se relacionou em profunda amizade. Na Índia, ele recebeu seu nome espiritual “Omraam” “por alguém que é maior que Babaji”. [26]

Omraam Mikhaël Aivanhov explicou o significado de seu nome iniciático da seguinte maneira: "meu novo nome é Omraam Mikhaël. Os dois princípios da ciência, dissolver e coagular, estão ocultos nesse nome. "Om" produz as vibrações que desintegram tudo o que é ruim ou negativo. Corresponde à solução da ciência iniciática que devolve as coisas à sua fonte e as espiritualiza, transformando-as em luz. As vibrações de 'Raam' têm o poder de condensar e coagular as realidades divinas e torná-las tangíveis. Isso é coágulo.” [Citação da p. 269, a vida de um mestre no oeste]. Em sua chegada à Paris, em 1960, seus alunos mal o reconheceram, embora ele tivesse saído apenas um ano antes. Tudo sobre ele era diferente, e uma dessas mudanças foi que ele tinha uma notável semelhança com Peter Deunov. A partir de então, seus alunos espontaneamente o chamavam de "Mestre" em vez de "Irmão". Ele mesmo disse sobre esse assunto: "Um verdadeiro mestre nunca dirá que ele é um mestre! Ele permitirá que seja sentido e compreendido por você, porque ele não tem pressa em ser conhecido, e um verdadeiro mestre é aquele que conhece a verdade, que compreende e respeita as leis e os princípios da vida. Ele também tem a vontade e a habilidade de dominar seu próprio mundo interior e usar esse domínio para um único objetivo, que é mostrar todas as qualidades e virtudes do amor desinteressado ".

Anos 1960

Anos 1960 Omraam Mikhaël Aivanhov freqüentemente deixava a França para visitar locais espirituais importantes, bem como centros emergentes da Irmandade. Ele viajou para a Inglaterra, Espanha, Itália, Grécia, Suécia, Holanda, Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Israel, Japão, Sri Lanka, Hong Kong, Marrocos, Egito, Etiópia, Iugoslávia, Bulgária, Turquia e Líbano. [27] Em 1971, surgiu a Prosveta Publishing Company (hoje localizada em Frejus, França), que iniciou a publicação de numerosas palestras (totalizando mais de 5000) de Omraam Mikhaël Aivanhov. Em abril de 1974, foi iniciada a publicação das “Obras Completas”, uma série de livros com 32 volumes. Atualmente, as traduções dos livros de Omraam Mikhaël Aivanhov existem em mais de 30 idiomas.

Anos finais

Após uma interrupção de suas atividades itinerantes durante vários anos, durante os quais passou a maior parte do tempo com a divulgação de seu ensino nos centros fraternos na França e na Suíça, ele viajou novamente para os Estados Unidos e para o Canadá para dar uma série de palestras públicas em outubro de 1981. Depois disso, houve mais viagens para a Bulgária, Tailândia, Índia, Inglaterra, Escócia, Egito, Escandinávia e México. [28] Em janeiro de 1984, ele conheceu o ex-presidente Ronald Reagan (http://it.omraamwiki.org/images/6/68/OMA_meets_RR.jpg). Em maio de 1984 ele retornou para a última série de palestras no Canadá. Para auxiliar o projeto internacional Live Aid (https://en.wikipedia.org/wiki/Live_Aid), que havia sido organizado em 1985 para arrecadar dinheiro para a fome na Etiópia, e que foi um dos maiores eventos de Rock da história, um apelo dele havia sido gravado (https://www.youtube.com/watch?v=wze841XwvHE). Omraam Mikhaël Aivanhov deixou seu corpo em plena consciência no dia de Natal de 1986, no centro do Bonfin. Para honrar seus desejos expressos, a notícia foi anunciada apenas três dias depois. Ele havia explicado que tinha que fazer um certo trabalho nos planos sutis durante esses três dias e que, por essas razões, seu corpo físico deveria ser deixado em isolamento. Vários de seus alunos relatam curas extraordinárias e milagrosas efetuadas por Omraam Mikhaël Aivanhov durante sua vida. [30]

The Teaching of Omraam Mikhaël Aïvanhov: Spirit and Matter Have to Work Together

The teaching of Omraam Mikhael Aivanhov [31] unites and rethinks the principles of the earlier spiritual traditions of East and West, in order to adapt them in new forms to today’s times, and to allow for the practical application of spiritual ideals and initiatic knowledge in daily life. It connects with the old teachings of the great Masters such as Hermes Trismegistos, Orpheus, Rama, Zoroaster, Buddha, Krishna, Moses, Pythagoras, Jesus… and rests on the hypothesis that there are two great cosmic principles – male and female, spirit and matter – which are governed by unchangeable, universal laws. These laws were known to the Initiates of all epochs, and are passed on as initiatic science by the great Masters and Philosophers of mankind. Over the course of the centuries this knowledge, this “eternal wisdom”, assumed different forms and manifested especially through the different, successive religions, where it became adjusted to the times, the culture, and the spiritual level of unfoldment of the particular people. Aivanhov leans on these old traditions insofar as he integrates mainly Christian, but also Iranian, Hindu, Buddhist, Taoist, and Jewish perspectives into his teaching. Thus he became the vanguard of an important tendency of our times, which demonstrates synergies and correspondences not only in the field of theology, but also in politics and social sciences, such as have existed at all times among the most important spiritual and religious currents – always with the aim of bringing peace and social harmony to earth. [32] In further consideration the teaching of Aivanhov contains those elements of esoteric Christianity, according to which the arrival of an age of universal peace and wellbeing can come about through a sufficient number of individuals who work on realizing the “Kingdom of God” (https://en.wikipedia.org/wiki/Kingship_and_kingdom_of_God) first of all within themselves. According to Aivanhov one of the fundamental truths of initiatic science is that in the “subtle” world (the so-called “higher world”) all elements that make up reality, are linked and connected to each other in a specific way. Therefore, the realization of the Kingdom of God on our planet becomes an almost spontaneous and natural reality, if everybody makes efforts to realize this divine Kingdom within themselves, which then could bring about the return of the mythical Golden Age (https://en.wikipedia.org/wiki/Golden_Age). In order to describe the best way of how each individual can come closer to this significant ideal, Aivanhov reveals the eternal principles of initiatic science and defines the cosmic laws which reign both in the universe as well as in man; in the macrocosm as well as in the microcosm. At the same time, he also describes the constant exchange between “that which is above and that which is below”. A basis for this method is the conviction that human beings cannot attain the tangible realization of such a high ideal through faith alone, but that they also need knowledge about how ‘reality’ is organized. This knowledge will help to understand how the arrival of the Golden Age remains no longer a utopia, but becomes a certainty. [33] Furthermore Aivanhov emphasizes how useful it can be on the individual level to have a high ideal. Even from a subjective viewpoint, it allows for better conditions of life: “… wenn ihr ein hohes Ideal habt, wenn ihr zum Beispiel das Reich Gottes auf Erden bringen wollt, werdet ihr alles von euch Gewuenschte erhalten und die Fuelle kosten.” (Quote) [34] The philosophical point of view of Aivanhov teaches that all people, regardless of their ethnic or religious origin, their social standing, or their material or intellectual possibilities, can participate in the realization of a new age of brotherhood and peace on earth. [35] Different from many esoteric tendencies of today the “Universal White Brotherhood” doesn’t give a special name to their philosophical system, but rather uses the notion of the “teaching”. Aivanhov emphasizes that the underlying “text” of the teaching given by him is the “book of nature”, a “living” book, where the student himself can “read” all correspondences and laws that are regulating life.

The Most Important Topics

The predominant topic in the work of Omraam Mikhael Aivanhov is, therefore, the human being and his perfection as an essential prerequisite for the development of harmony and peace on the entire planet. Following this (not only Judeo-Christian) esoteric-spiritual tradition, a number of exercises are recommended, which will help to answer and solve existential questions, to better understand the inner life, and to conduct oneself better in daily life. Even references to the science of symbols, as well as to astrology, cabbala, and alchemy, appear less as abstract speculations, but rather serve to illuminate the phenomena of the inner and social life, their way of functioning; to explain the laws that are governing communal life and clarify the relationship between man and ecosystem.

Looked at in greater detail, further topics of his teaching [36], [37] include the following subjects: the Yoga of the Sun and Yoga of Nutrition (“… wenn man euch fragt, was ihr bei eurem Meister lernt, so antwortet, dass es zahlreiche Yogaformen gibt, aber dass er den wesentlichsten, gehaltvollsten und aeltesten Yoga, den Sonnen-Yoga und auch den Yoga der Ernaehrung, wiederentdeckt hat...“) [Quote – source??], spiritual awakening, spiritual Master, subtle bodies, reincarnation [38], Initiation (as work on oneself), divine magic, karma, the natural law of correspondences, the moral law of affinity, spiritual galvanoplasty, the language of symbols and the “true teaching of Christ”. The spiritual galvanoplasty is a concept first introduced in the year 1938, which compares the pregnancy of a mother, who takes care to bring a harmonious child into the world, with galvanoplasty. ”Ueberall in der Natur existiert die Galvanoplastik. Wenn wir etwas auf einer bestimmten Ebene vergolden wollen, muessen wir auf der Seite der Kathode eine Form, ein bestimmtes Bild anbringen und wir muessen ein metallisches Salz, eine Goldverbindung, in der elektrolytischen Fluessigkeit loesen. Wenn wir dann die Elektroden mit einer Batterie verbinden, wird der Gegenstand vergoldet.“ (Quote) [39]

Practical Aspects of the Teaching

Beyond the esoteric foundations of this teaching, the philosophical system proposed by Aivanhov includes a series of exercises, of meditations and practices which can be integrated into daily life. They help to realize the ideal of spiritualizing matter, which means to bring the basic principles of spiritual reality permanently into material reality. The teaching includes gymnastic exercises, songs and meditative methods, which are derived largely from Peter Deunov’s teaching [40]. Aivanhov connects the activities and principles that define a human being. The physical body corresponds to physical work, the will to respiration and gymnastic exercises, the heart to harmonious and artistic activities, the intellect to meditation, the soul to contemplation, adoration and prayer, and finally the Spirit to identification.

  • Communal living: the students of Deunov as well as the students of Aivanhov live the experience of “fraternal life” [41] year-round, or at certain times. There, lectures will be listened to, shared vegetarian meals will be taken in silence, choir songs will be sung, etc.
  • Yoga of Nutrition (Hrani Yoga): fasting for 24 hours and shared vegetarian meals [42]
  • Physical work [43]
  • Gymnastic exercises: alone or in the group [44]
  • The Paneurythmy: a harmonious dance, which is danced in a circle by several couples. Movements and music by Peter Deunov [45]
  • Breathing exercises [46]
  • Choir singing and music [47]
  • Meditation [48]
  • Meditation at sunrise [49]
  • Formulas and prayers [50]


«Bevor wir am Morgen aufstehen, sollten wir die Augen oeffnen und unseren Blick nach innen wenden, um aufmerksam unserer inneren Stimme zu lauschen. Wir werden dann das Programm des beginnenden Tages hoeren. (...) Wir koennen folgenden Satz sprechen. ‚Oh mein Gott, ich danke Dir, dass ich heute gesund und voller Energie bin. Moege mein Tag gesegnet sein! Hilf mir, auf dass ich Deinen Willen erfuelle!‘“ (Quote) [51]

The dissemination of the Teaching of Omraam Mikhaël Aïvanhov

The Prosveta Publishing Company is exclusively dedicated to the dissemination of the works of Omraam Mikhaël Aïvanhov. Its catalogue contains 120 books of various series as well as lectures on CD and DVD. Prosveta France mentions on their website that since their founding, more than 5.6 million books of Omraam Mikhaël Aïvanhov have been sold in over 30 different languages. Their website records about a million visits annually. [53]

Publications of Prosveta in English

The teaching of Aivanhov was exclusively oral. His lectures were partly already published as books during his lifetime and were then edited by himself. All later works developed also from his lectures, recorded either by shorthand or on tape, and are available through Prosveta. “Editions Prosveta France” is the sole owner of all rights:


Complete Works

  • The Second Birth
  • Spiritual Alchemy
  • Life Force
  • Harmony
  • The Mysteries of Yesod – Foundations of Spiritual Life
  • The Splendor of Tipharet – the Yoga of the Sun
  • The Key to the Problems of Existence
  • Cosmic Moral Law
  • A New Earth – Methods, Exercises, Formulas, Prayers
  • Love and Sexuality (Part 1 and 2)
  • Hrani Yoga – The Alchemical and Magical Meaning of Nutrition
  • Know Thyself – Jnana Yoga (Part 1 and 2)
  • A New Dawn – Society and Politics in the Light of Initiatic Science (Part 1 and 2)
  • On the Art of Teaching from the Initiatic Point of View (Part 3)
  • Life and Work in an Initiatic School (Part 1)
  • The Fruits of the Tree of Life – the Cabbalistic Tradition

Izvor Series • Toward a Solar Civilization • Man, Master of his Destiny • Education Begins Before Birth • The Yoga of Nutrition • Sexual Force or the Winged Dragon • A Philosophy of Universality • What is a Spiritual Master? • The Egregor of the Dove or the Reign of Peace • Christmas and Easter in the Initiatic Tradition • The Tree of the Knowledge of Good and Evil • Freedom, the Spirit Triumphant • Light is a Living Spirit • Man’s Two Natures, Human and Divine • Hope for the World: Spiritual Galvanoplasty • The True Meaning of Christ’s Teaching • The Living Book of Nature • New Light on the Gospels • The Symbolic Language of Geometric Figures • Man’s Subtle Bodies and Centres • The Zodiac, Key to Man and the Universe • True Alchemy or the Quest for Perfection • Man’s Psychic Life: Elements and Structures • Creation: Artistic and Spiritual • The Powers of Thought • Harmony and Health • The Book of Divine Magic • Golden Rules for Everyday Life • Looking into the Invisible – Intuition, Clairvoyance, Dreams • The Path of Silence • The Book of Revelations: a Commentary • The Seeds of Happiness • The Mysteries of Fire and Water • Youth: Creators of the Future • Truth: Fruit of Wisdom and Love • “In Spirit and in Truth” • Angels and other Mysteries of the Tree of Life • Cosmic Balance – The Secret of Polarity • The Faith That Moves Mountains • Love Greater Than Faith • Sons and Daughters of God • The Philosopher’s Stone (in the Gospels and in Alchemy) • The Wellsprings of Eternal Joy • The Laughter of a Sage • “Walk While You Have the Light” Brochures • The New Year • Meditation • Respiration – Spiritual Dimensions and Practical Applications • Death and the Life Beyond • The High Ideal • Sunrise Meditations Collection Brochures • What’s the Answer • Spirituality in Everyday Life • Happiness Biographies • The Mystery of Light, by Georg Feuerstein • The Life of a Master in the West, by Marie-Louise Frenette

Autobiographies • A Living Book, Autobiographical Reflections Part 1 • Life with the Master Peter Deunov, Autobiographical Reflections Part 2 Synopsis Collection • You are Gods



OmraamWiki is an international project realized with the contribution of the Scientific Research funds of the University for Foreigners of Perugia (Department of Human and Social Sciences)